domingo, 17 de abril de 2011

Picão-Preto



O Picão preto (Bidens pilosa) é uma planta que, desde 2009, foi reconhecida oficialmente pelo Ministério da Saúde do Brasil como possuidora de propriedades fitoterápicas. É usada como vermífugo, antibacteriano, antibiótico e antimicrobiano. Pertence à família Asteraceae e é conhecida como Amor-de-burro, amor-seco, carrapicho, picão e outros nomes.

Embora no gênero Bidens a maioria das espécies sejamornamentais, a B. pilosa é popular por ser uma invasora agressiva e eficiente, chegando a ser considerada daninha. É bastante comum em regiões de clima tropical e subtropical. Sem dúvida é muito comum nas zonas urbanas como em praças, terrenos baldios, beiras de estrada e jardins. Possui folhas verdes brilhantes com bordas serrilhadas, flores pequenas amarelas e sementes pretas.

Indicado para: abscessos, afecção cutânea, aftas, amigdalite, angina, ativar o pâncreas na distribuição de insulina, blenorragia, cefaléias, cicatrização, colesterol, cólicas, cólica infantil, conjuntivite, diabete, disenteria, dismenorréia, distúrbios da menstruação, dores osteoarticulares, emagrecimento (auxiliar na dieta de), engorgitamento das glândulas mamárias, envenenamento, distúrbios hepáticos, dor de cabeça, dor de dente, edemas, escorbuto, fadiga, faringite, febre, feridas, fígado, gastroenterite, hemorragia pós-parto, hemorróida, hepatite, hipertensão, icterícia, inapetência, indigestão, infecções do estômago e rins, infecções urinária e vaginal, inflamações da boca e da garganta, intoxicação alimentar, irritações da pele, irritação interna, laringite, leucorréia, micose, odontalgias, oftalgias, otorrinalgias, pâncreas, problemas de pele, problemas do estômago, resfriados, tumores, úlceras gastroduodenais, vermes.

FARMACOLOGIA

Adstringente, amarga, antiartrítica, antiblenorrágica, antidiarréica (as flores), antidisentérica, antiedêmica, antiemética, antiescorbútica, antiespasmódica, anti-hemorroidária, antiinflamatória, antileucorréica, antimalárica, antipirética, anti-reumática, antisséptica, aperitiva, carminativa, catártica, cercaricida, cicatrizante, depurativa, desobstruente do fígado, diurética, emenagoga, emoliente, estimulante, expectorante, galactagoga, hemostática, hepatoprotetora, hipoglicemiante drástica, hipotensiva, hipotensora, mucilaginosa, odontálgica (a raiz), sedativa, sialagoga, tônica do sangue, tranquilizante, vulnerária.

USO:
  • Verminose, hepatite, diabete e icterícia: infusão de uma colher das de sopa (5g) da erva em ½ litro de água fervente. Tomar 2 a 3 xícaras ao dia.
  • Feridas, úlceras, hemorróidas, assaduras e picadas de inseto: infusão de uma xícara das de cafezinho da planta picada em ½ litro de água. Tomar 1 xícara das de chá a cada 4 horas; gargarejo: amigdalite e faringite; compressas (pode-se usar o suco da planta, ao invés da infusão).
  • Banhos, gargarejos e compressas tópicas: ferver - para uso externo - 10 colheres das de chá de folhas em 1 litro de água.
  • Compressas em feridas e úlceras: suco de folhas frescas, amassadas. 
  • Vulnerário e anti-séptico: utilizar o recomendado para banhos a decocção acima, 2 vezes ao dia: vulnerário e anti-séptico.